Espécies

Physalia physalis (Caravela-portuguesa)

A Caravela-portuguesa é, de facto, uma colónia. Um conjunto de indivíduos, cada um com a sua função específica, que forma um único organismo. Flutua à superfície da água e é influenciada por ventos e correntes superficiais. Os seus tentáculos podem chegar aos 30m. Esta é a espécie com maior poder urticante que ocorre com frequência na costa portuguesa, incluindo os Açores e a Madeira, pelo que deverá ser evitado o contacto directo sempre que possível. Em caso de queimadura, aplique vinagre e bandas quentes sobre a zona afectada.

Physalia physalis
Physalia physalis (fotografia de Mafalda Freitas)
Velella velella
Velella velella (fotografia de Ricardo Neves)

Velella velella

Provida de uma estrutura superficial semelhante a uma vela, a Velella, flutua à superfície da água e é influenciada por ventos e correntes superficiais. Estes organismos podem formar agregados densos, cobrindo a superfície da água, e vastas áreas de areal quando dão à costa. Os seus tentáculos são pequenos e ligeiramente urticantes, sendo aconselhável evitar o contacto direto. Se for picado, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Catostylus tagi

É provavelmente a medusa mais comum em Portugal continental, podendo ser facilmente observada em portos e marinas, especialmente nos rios Tejo e Sado. É uma espécie de grandes dimensões e o seu poder urticante é considerado fraco. No entanto, aconselha-se precaução. Se for picado, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Catostylus tagi
Catostylus tagi (fotografia de Pedro Marrecas)
Pelagia nociluca
Pelagia noctiluca (fotografia de Ana Lucas)

Pelagia noctiluca

Considerada a medusa mais comum no Mar Mediterrâneo, ocorre na costa Portuguesa e ilhas, com mais frequência durante a primavera e o verão. Os seus tentáculos podem chegar aos 2m de comprimento e é muito urticante. As suas células urticantes estão concentradas nos tentáculos, mas existem também na campânula. Esta é uma espécie bioluminescente. Em caso de contacto direto com a pele, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Rhizostoma luteum

É uma espécie rara que ocorre na costa Portuguesa, no estreito de Gibraltar e na costa oeste Africana com relativa frequência. É uma medusa de grandes dimensões cuja campânula pode chegar aos 60 cm de diâmetro. É facilmente reconhecida pelos seus braços orais curtos com longos apêndices de coloração. Escura nas extremidades. Em caso de contacto direto com a pele, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Rhizostoma luteum
Rhizostoma luteum (fotografia de Tiago Assunção)
Chrysoara hysosecella
Chrysaora hysoscella (fotografia de Paulo Vasconcelos)

Chrysoara hysosecella

Considerada muito urticante, ocorre ocasionalmente na costa Portuguesa. Distingue-se facilmente pela presença de bandas castanhas na sua campânula. Em caso de contacto direto com a pele, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Aurelia spp.

Aurelia spp. ou Medusa-da-lua, é uma espécie considerada cosmopolita, ocorrendo nas zonas costeiras de águas quentes e temperadas de todos os oceanos. É frequentemente registada em portos, marinas, lagoas costeiras e estuários. É facilmente distinguida pelas suas gónadas em forma de ferradura, visíveis no centro da campânula. Em caso de contacto direto com a pele, aplique bandas de gelo e se possível bicarbonato de sódio.

Aurelia spp.
Aurelia spp. (fotografia de Nuno Vasco Rodrigues)
Salpas
Salpa (fotografia de Nuno Vasco Rodrigues)

Salpas

São organismos com um ciclo de vida complexo, com uma fase solitária e uma fase colonial. Estes organismos alimentam-se principalmente de fitoplâncton, podendo ocorrer em grandes números em zonas muito produtivas. Na fase colonial criam cadeias que atingem vários metros de comprimento. Organismos considerados não urticantes.

Mnemiopsis spp.

Organismos de forma oval, quase transparentes, que apresentam bandas verticais bioluminescentes constituídas por cílios (finos filamentos). Possuem tentáculos para alimentação. Organismos considerados não urticantes.

Mnemiopsis spp.
Mnemiopsis spp. (fotografia de Hans Blauwe)
Pyrosoma spp.
Pyrosoma spp. (fotografia de Manfred Kaufmann)

Pyrosoma spp.

Estes organismos constituem estruturas rígidas semelhantes a um cilindro oco, com uma extremidade aberta. Organismos considerados não urticantes.




Portugal Continental




Madeira